Pular para o conteúdo principal

Dois deles: olhar/sentir

Ele:

Sinta minha pele roçando seu rosto!
Sinta, minha barba no seu pescoço
Perceba minha pele, corando, e meu sorriso sacana se espalhando como veneno em minha face.
Sinta minha presença bem próxima a tua, pegando tua mão, e colocando entre minhas pernas.
Sinto, o arrepio da tua pele
Minhas mãos, passeando no teu corpo.
Sentindo teus pelos
Passando a mão na tua cara
Eu, puxo teu cabelo, e te beijo com violencia
Agora vc é meu, e de ninguém mais.
Minha boca, passeia pelo teu corpo nú, de cima a baixo, como se eu estivesse lendo braile, com a língua.
Sinto o calor do teu corpo.
Enquanto acaricio tua face
Sinto tua lingua, o calor dos teus lábios, eu solto um urro, de prazer.
Minha respiração, ainda mais ofegante.
Mordo tua nuca
Urro
Depois te seguro pela cintura
Minhas mão agarradas na tua cintura
As unhas na tua pele
A boca quente na tua nuca, e a barba nas tuas costas
Quero fazer disso, uma história inesquecivel,
Eu gosto da tua cara sacana
Quando ele entra
Minhas pernas fica bambas
Sinto o cheiro da tua boca, vejo teu sorriso, e te dou um beijo!
Te aproximo do meu peito.
Te beijo, dessa vez com ternura
Te deito na cama, e junto meu corpo ao teu
Te envolvo nos meus braços
Teu suor, teu cheiro... sorrio pra ti, e beijo tua testa.

O outro dele:

Deixa eu chegar mais perto de você
Sinta minha respiração buscando teu perfume
Teu cheiro
Sinta minha respiração ficar descompassada
Sinta minhas mãos explorando teu corpo
E minha boca invadindo a tua
Olha pra mim
Veja eu dar uma risadinha boba de quem pede desculpa
Veja eu deitar na cama e te chamar dizendo "sou todo teu"
Então eu te puxo sem demora
Então eu faço teu corpo se unir ao meu
E você, cheio de tesão, rasga minha camiseta, E tira a sua
O meu olhar ligeiramente assustado, mas cheio de vontade
Eu me entrego ao teu prazer
Você me joga de volta na cama
Estou em êxtase
O meu corpo se contorce
E chega a tremer as extremidades
Perco o domínio das sensações, e solto um gemido em meio à respiração ofegante
Meu corpo dá espasmos de prazer
O ritmo da respiração aumentou
Você sente o meu batimento acelerado
Quando passa as mãos no meu peito
E eu olho
Sou teu
Toma posse
Então vem
Quero te fazer o homem mais feliz hoje
E eu solto um urro de tesão
Sinto um tapa
Solto um grito, mas digo pra não parar
E eu rebolo
E eu gemo
Minha voz se descontrola
E lágrimas que escorrem do rosto
Porque estou perdendo o controle dos sentidos
Mas é puro prazer
E vejo um sorriso largo no teu rosto
E meus gemidos se tornam música pros teus ouvidos
Você nota o meu olhar que brilha
O meu sorriso
Mas minha expressão de libido
Nos deitamos, nos olhamos, nos fazemos carinho
E já não há mais palavras. Só o sentimento que paira
Naquele clima
E os olhares que sorriem

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Movimentos.

Tudo escuro, fones no ouvido, musica alta, incapaz de ouvir seu próprio pensamento, sente as batidas, pulsa no corpo, parece o coração do lado de fora, meias nos pés, lápis no olho, não ele não saiu de casa,só quera se curtir, acende vela o cheiro de baunilha, muda a musica, suave agora, balança lentamente, gira... dança dentro do quarto ninguém pode te julgar, NÃO CANTA! as pessoas não podem te ouvir... não agora... essa musica é só sua! dança... sente suor descendo, os deuses observam, os gatos em cima da cama observam como se quisessem entrar, correm na cama, miam... eles podem cantar ninguém entende, mas você está sendo julgado. DANÇA!

Se...

Sofri um acidente, foi feio por fora mas por dentro ficamos todos a salvo, ouvia as pessoas falando ao redor enquanto segurava minha sobrinha nos meus braços, todos falavam sobre "se"... "Se fosse um pouco mais pra trás teria sido desse jeito", "se fosse mais pra cima teria sido de outra forma", "se você não estivesse no carro seria fulana de tal"... se... comecei a perceber que sofremos mais de "se" do que sofremos do foi! poderiam ter sido de várias formas, mas foi daquele jeito, caiu onde tinha que cair e quebrou o que tinha que quebrar, fim! Não vou mais viver de "se" vou viver foi! e foi assim que voltei a escrever....